Burburinho

  • Compartilhe:
Burburinho 17 / 03 / 2015| Julia Meneses

4º Fórum Rio discute a gestão metropolitana

Estão abertas as inscrições para a quarta edição do Fórum Rio, encontro de instituições da sociedade civil realizado pela Casa Fluminense com o objetivo de discutir políticas públicas para a Região Metropolitana do estado. O papel da capital do Rio de Janeiro, sua relação com a periferia e a necessidade de investimentos na Zona Oeste estão entre os temas em debate no próximo dia 21 de março, no Colégio Estadual Stuart Edgar Angel Jones, em Senador Camará.

O Secretário Executivo de Coordenação de Governo da Prefeitura do Rio, Pedro Paulo Carvalho, confirmou presença no evento, que terá debates simultâneos pela manhã e plenária à tarde, seguida de programação cultural com apresentação de DJs e leitura de poesia.

Em entrevista ao Vozerio, o coordenador executivo da Casa Fluminense, Henrique Silveira de Souza, explicou os objetivos do encontro: "Queremos fortalecer a articulação entre as organizações da sociedade civil, principalmente da Zona Oeste, e entregar o documento Agenda Rio 2017 à prefeitura do Rio de Janeiro".

Criada em 2013 pela Casa, a Agenda Rio 2017 tem sido alimentada com novas propostas em parceria com instituições e colaboradores. O objetivo é consolidar uma pauta comum voltada para conquistas políticas e sociais e um melhor desenvolvimento do Rio. Segundo Henrique Silveira, a presença da Prefeitura é fundamental para a discussão da Agenda, organizada em seis metas prioritárias para adensar uma pauta progressista para o estado e sua região metropolitana.

"Vemos hoje uma expansão horizontal, mas deveríamos utilizar áreas já urbanizadas." Henrique Silveira, da Casa Fluminense

A primeira delas é a necessidade de um plano diretor metropolitano de diretrizes para a região, com a participação do estado, da prefeitura e da sociedade. “Audiências públicas nos diversos municípios e um mecanismo de consulta on-line são dois instrumentos necessários. Não basta apenas ouvir, temos que incorporar as propostas para que a sociedade se reconheça no plano”, completa o coordenador da Casa Fluminense. Ao lado disso, está um plano de metas e transparência para comunicar o alcance e o andamento dos projetos.

Outra meta é a criação de um programa de igualdade territorial para priorizar o investimento público em regiões mais vulneráveis. “A Zona Oeste hoje tem hoje os piores indicadores do estado. A concentração de investimentos na Barra da Tijuca é um modelo de cidade que reforça a desigualdade”, explica Henrique. Em lugar da expansão para regiões ainda não ocupadas, a Casa Fluminense defende a revitalização de bairros antigos da Zona Norte e Oeste. “Vemos hoje uma expansão horizontal, mas deveríamos utilizar áreas já urbanizadas.”

Segurança pública
A segurança pública é também assunto especial dentro da região metropolitana. A Baixada, por exemplo, tem os maiores índices de homicídio. Por isso, um programa de redução de homicídios para a região está na Agenda Rio 2017. “Vamos realizar o Fórum na Zona Oeste justamente para chamar atenção para essa realidade. Lá existem áreas de ocupação antigas, para onde deveriam convergir maiores investimentos do poder público”, afirma Henrique.

A ênfase no trem como eixo fundamental no transporte da na metrópole – ao lado de outros meios, como o BRT, ciclovias e carros – e a despoluição da baía de Guanabara fecham as prioridades do documento.

O coordenador também comentou a importância da Câmara Metropolitana de Integração Governamental, criada em 2014, como um organismo fundamental para uma gestão metropolitana efetiva e um plano diretor que contribua de fato para o desenvolvimento da região. “Nós [da Casa Fluminense] temos dialogado com a Câmara como sociedade civil e como ator interessado na discussão. Queremos colaborar, em certa medida, com o poder público e ver essa Câmara consolidada”.

Para ver a programação completa do dia 21, acesse: http://casafluminense.org.br/inscricoes-abertas-para-o-4o-forum-rio/

  • Compartilhe:

Mais Burburinho

Parque Madureira não tem data para chegar à avenida Brasil

Prometida por Eduardo Paes para o ano passado, obra depende agora do aval de Marcelo Crivella

CCBB é palco de protesto após episódio de lesbofobia

Visitante acusa namorado de funcionária de discriminação durante ida ao local na última sexta (30)

Que tal aterrar a Lagoa?

Livro reúne soluções mirabolantes já propostas para os problemas de um dos principais cartões-postais do Rio

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre segurança pública

Pesquisador do CESeC relata a indignação de moradores da Cidade de Deus se reuniram em um protesto na quinta-feira (24/11) contra o uso de mandado de busca coletivo nas ações policiais

A nau sem rumo da segurança pública

Para o sociólogo Renato Sérgio de Lima, vice-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e professor da FGV, lideranças do Rio precisam parar de reduzir a segurança pública a uma mera gestão da legislação penal e das instituições policiais

Favelas do Rio amargam abril violento

Apenas no último mês, PM e traficantes mataram pelo menos 15 pessoas no Jacarezinho, na Mangueira e em outras comunidades

Quando o policial é alvo de sua própria arma

Em entrevista, Dayse Miranda, pesquisadora da UERJ discute o suicídio cometido por policiais militares no Rio, um drama silencioso

Mais sobre política

Livro aborda transformações da Baixada Fluminense durante a ditadura

6 momentos do Rio em 2016

Testemunhas contam o que viram de um dos anos mais agitados dos últimos tempos

De mulher para mulher: ocupação feminista no Rio

Rede Agora Juntas encerra neste sábado (17), na Glória, experiência que debateu direitos das mulheres

Prefeito eleito de Caxias é condenado a 7 anos de prisão por crime ambiental

De acordo com STF, Washington Reis (PMDB) se envolveu na criação de um loteamento ilegal quando era prefeito da cidade

Mais sobre democracia

Estudantes na porta 163ª Zona Eleitoral do Rio, no Catete, dizem não ter a menor ideia em quem votar nas próximas eleições e que só tiram o título "por obrigação"

Curso gratuito vai destrinchar o enigmático mundo das políticas públicas no Rio

Organizado pela Casa Fluminense, ciclo de aulas vai de abril a julho, na Glória; inscrições on-line estão abertas até dia 24/3

Bruxas e bruxos da cidade

Quem são os revolucionários do contemporâneo? Para o geógrafo Jailson de Souza e Silva, fundador do Observatório de Favelas, desafiar a alienação de si é revolucionário

Rio de Janeiro, cidade metropolitana

Enquanto se debate a gestão compartilhada da Região Metropolitana do Rio, o desafio é que o processo se abra às vozes da sociedade civil
Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino