Burburinho

  • Compartilhe:
Burburinho 20 / 12 / 2016| Saulo Pereira Guimarães

Biblioteca Parque amanhece fechada no Centro

A renovação do verniz do piso do subsolo causou o fechamento parcial da Biblioteca Parque Estadual nesta terça (20), no Centro. Funcionários e usuários foram surpreendidos com a notícia, divulgada só depois que o espaço já havia sido aberto. De acordo com a Secretaria Estadual de Cultura, o local deve seguir funcionando em 2017, por meio de verbas da prefeitura do Rio. A notícia é um alívio em meio ao fim de ano conturbado por conta da crise financeira do Governo do Estado

Foto: vista externa da entrada principal da Biblioteca Parque Estadual, na Presidente Vargas (Divulgação/Facebook)

A surpresa foi geral. Quando a entrada da rua da Alfândega foi aberta nesta terça (20) às 11h, os usuários da Biblioteca Parque Estadual do Centro (BPE) descobriram que o local estava parcialmente fechado. Apenas atividades como a devolução de livros estavam sendo realizadas pelos funcionários, concentrados no espaço entre o Saara e o chafariz que existe no interior do prédio. Nem os seguranças sabiam direito o que estava acontecendo. "Fomos avisados cinco para as onze", comentou um deles.

O mistério só começou a ser esclarecido cerca de uma hora depois. Às 12h14, o perfil da BPE no Facebook divulgou uma nota informando que, em função de uma "manutenção do piso", o espaço não funcionaria excepcionalmente hoje. Por email, a Secretaria Estadual de Cultura (SEC/RJ) confirmou a informação e explicou que a decisão foi tomada por conta do forte cheiro deixado pela renovação do verniz do piso de taco do subsolo do prédio, realizada ontem (19). Na nota, a SEC/RJ afirmou que, apesar da crise financeira do Governo do Estado, a biblioteca deve continuar funcionando em 2017.

"A equipe de transição do prefeito eleito Marcelo Crivella já teve um encontro com a secretária Eva Doris Rosental e manifestou o interesse em manter o convênio. (...) É possível que a biblioteca fique fechada em janeiro, até que os trâmites burocráticos da renovação do contrato sejam resolvidos", diz o texto. Os eventos previstos para hoje na BPE foram mantidos.

Crise

O susto foi apenas mais um capítulo da novela envolvendo a BPE. No último dia 06, o jornal O Dia noticiou que os 153 funcionários do espaço trabalhavam sob aviso prévio desde o começo de dezembro. De acordo com a reportagem, a medida foi adotada pelo Instituto Desenvolvimento e Gestão (IDG) por não haver indicação de que o repasse de recursos para administração do local seria mantido. Responsável pela Biblioteca Parque e pelo Museu do Amanhã, o IDG é uma organização social (OS) que atua sem fins lucrativos e venceu licitação para poder gerir os dois centros culturais. O Museu de Arte do Rio (MAR) e a Casa França-Brasil são exemplos de outros espaços que estão hoje sob a tutela de OSs.

Aberta em 2014, a BPE ocupa um edifício de 15 mil metros quadrados ao lado do Campo de Santana. Um teatro, um estúdio musical e um café são algumas das atrações do local. O espaço conta atualmente com um acervo de mais de 260 mil peças, entre livros e outros produtos artísticos. A maior parte da coleção é composta por obras literárias (200 mil), mas a quantidade de itens como filmes (20 mil) também chama atenção. Por dia, 2.200 pessoas circulam na biblioteca, que tem cerca de 250 moradores de rua entre os mais de 70 mil usuários cadastrados. Para muitos, trata-se de uma das melhores bibliotecas da cidade em atividade hoje.

A terça-feira também foi agitada em outro prédio a poucos quilômetros da BPE. No fim da manhã, um ato reuniu policiais, professores e outros servidores em frente à Assembleia Legislativa do Estado (Alerj). Eles protestaram contra o pacote de austeridade fiscal proposto em novembro pelo governador Luiz Fernando Pezão. Por volta de 13h, o acesso ao local era controlado por integrantes do Batalhão de Choque da Polícia Militar, que formavam cordões de isolamento nas ruas da Assembleia, São José e na avenida Primeiro de Março. Por conta disso, a última via chegou a ficar fechada para o trânsito.

Ontem (19), a Alerj informou que a votação das medidas do pacote está suspensa até 2017. A decisão foi anunciada pelo presidente da Casa Jorge Picciani e atribuída à falta de entendimento dos parlamentares com os sindicatos sobre o tema e de comprometimento por parte do Governo do Estado com o pagamento dos salários em dia.

  • Compartilhe:

Mais Burburinho

Parque Madureira não tem data para chegar à avenida Brasil

Prometida por Eduardo Paes para o ano passado, obra depende agora do aval de Marcelo Crivella

CCBB é palco de protesto após episódio de lesbofobia

Visitante acusa namorado de funcionária de discriminação durante ida ao local na última sexta (30)

Que tal aterrar a Lagoa?

Livro reúne soluções mirabolantes já propostas para os problemas de um dos principais cartões-postais do Rio

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre crise

Testemunhas contam o que viram de um dos anos mais agitados dos últimos tempos

Sem salário, professora aposentada vende empada

Após 30 anos de trabalho na rede estadual, aposta nos salgados para comprar comida e pagar dívidas que ultrapassam R$ 600

"Não somos black blocs"

Policiais e outros servidores enfrentam bombas de gás e spray de pimenta em protesto contra pacote de medidas de austeridade enviado à Alerj

Empresas em dívida com o Estado do Rio receberam isenção fiscal

Levantamento aponta que 22 empreendimentos somaram débitos que ultrapassam R$ 9 bilhões. PSOL quer que MP investigue o governo por crime de improbidade administrativa

Mais sobre cultura

Visitante acusa namorado de funcionária de discriminação durante ida ao local na última sexta (30)

’Sem cultura é barbárie’

Artistas e gestores pedem que o Governo do Estado não acabe com a Secretaria Estadual de Cultura, e de quebra criticam o município por falta de transparência em Fomento às Artes

Novo endereço para criar e empreender

Espaço de ’coworking’ Gomeia surge como centro de articulação entre grupos atuantes em cultura na Baixada Fluminense

Cidade de Deus vira capital da literatura

Até domingo (13), Festa Literária das Periferias (Flupp) agita favela da zona oeste carioca

Mais sobre Bibliotecas

Espetáculos teatrais, debates e encontros literários organizados por artistas da Baixada Fluminense ocupam bibliotecas parque a partir de hoje

Um roteiro crítico das bibliotecas do Centro, parte II

Uma nova investigação sobre como as bibliotecas do Centro tratam quem as procura como local de trabalho ou estudo.

Bibliotecas municipais sofrem com falta de funcionários e problemas estruturais

Enquanto a Prefeitura acena com ajuda mensal de R$ 1,5 milhão para as bibliotecas-parque do governo estadual, estabelecimentos municipais sobrevivem sem computadores, ar condicionados e pessoal

Um roteiro crítico das bibliotecas do Centro

Da precaução da ABL, que veta a corrupção de menores, à vivacidade da Biblioteca Parque Estadual, um passeio pelas bibliotecas do Centro.

Mais sobre Rio de Janeiro

Curso de idiomas ajuda refugiados a tentar um recomeço na região metropolitana do Rio

Que tal aterrar a Lagoa?

Livro reúne soluções mirabolantes já propostas para os problemas de um dos principais cartões-postais do Rio

De mulher para mulher: ocupação feminista no Rio

Rede Agora Juntas encerra neste sábado (17), na Glória, experiência que debateu direitos das mulheres

Alerj vota mudanças no Rioprevidência nesta semana

Medida faz parte do pacote proposto pelo Governo do Estado, que entra em fase final de votação

Mais sobre Alerj

Propostas como o aumento do ICMS enfrentam rejeição tanto de líderes da situação quanto de membros da oposição

Alerj reluta em decidir sobre integração metropolitana

Após discussão, deputados não chegam a conclusão em relação à proposta do Governo do Estado; críticas vão da perda de autonomia das prefeituras à falta de participação da sociedade civil
Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino