Burburinho

  • Compartilhe:
Burburinho 4 / 01 / 2017| Vitória Régia da Silva

CCBB é palco de protesto após episódio de lesbofobia

Protesto nesta quarta (04), às 18h, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) reúne artistas e ativistas. O motivo é um caso de discriminação acontecido no local na última sexta (30). De acordo com visitante, o namorado de uma das funcionárias do espaço usou um quadro localizado na área infantil para escrever mensagens preconceituosas.

Foto: Funcionários do CCBB reunidos em foto contra discriminação (Reprodução/Facebook)

Ativistas e artistas participam nesta quarta (04), às 18h, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), do protesto “Lesbianizar o CCBB”. A manifestação acontece após uma pessoa não binária e bissexual identificada como Éri Éri acusar pelas redes sociais uma funcionária do espaço e seu namorado de lesbofobia e bifobia durante uma visita ao local na última sexta (30).

Até as 16h de hoje (04), mais de 2 mil pessoas já tinham confirmado presença na página do protesto no Facebook. “O CCBB é uma instituição conhecida por suas grandes exposições, filmes e peças, quase sempre feitos em todas as etapas por nós LGBTS”, diz um trecho da descrição da manifestação. “Porém, na hora de reconhecerem nosso afeto e amor, nos expõem ao ridículo e são preconceituosos”, diz o texto. Em resposta à mobilização, o centro cultural reafirmou seu compromisso com o combate à intolerância e informou que o evento será muito bem recebido.

De acordo com estudo sobre o tema, o gênero não-binário abarca todos os indivíduos que "que não serão exclusiva e totalmente mulher ou exclusiva e totalmente homem, mas que irão permear em diferentes formas de neutralidade, ambiguidade, multiplicidade, parcialidade, ageneridade, outrogeneridade, fluidez em suas identificações". O trabalho em questão é de autoria de pesquisadores da Universidade Federal de Juiz de Fora e da Pontifícia Universidade Católica do Rio.

ENTENDA O CASO

No sábado (31), Éri Éri relatou nas redes sociais que visitava o CCBB por volta de 20h em companhia de sua namorada quando um homem escreveu "meu pau" num quadro destinado ao público infantil. Após removerem a frase, Éri Éri e sua companheira saíram da sala. Ao voltarem, encontraram a frase "Fora Lésbica" no quadro (como mostra a foto acima). Na postagem, a vítima afirma que a funcionária que estava junto com o homem ria a todo momento da situação. A publicação já teve mais de 40 mil curtidas e 11 mil compartilhamentos. Após a repercussão do caso, Éri Éri mudou seu nome no Facebook.

"O cara que escreveu voltou outras vezes pra nos olhar. Resolvemos sair da sala. Fui ao banheiro e já ia embora. Passamos em frente a sala das crianças e ele estava saindo de lá. Agora o recado era “FORA LÉSBICA” (Éri Éri, em relato sobre o caso no Facebook)

Após descobrir que o homem era namorado da mulher que estava no balcão de informações, Éri Éri recebeu de outros funcionários a recomendação de que registrasse uma ocorrência sobre o caso. Entretanto, o homem dificultou que o registro fosse feito na caixa de reclamações do CCBB. "Ele tentou me impedir de colocar o papel na caixa tampando o buraco e depois tentando arrancar o papel da minha mão. O tempo inteiro em que eu escrevia a reclamação ele ficou a menos de um metro de mim rasgando os papéis da caixa. Todos presenciaram a cena e nada fizeram mesmo quando pedimos alguma intervenção (ao menos tirar o cara de perto da caixa)", relatou ela no Facebook

Em nota, o CCBB manifestou "total repúdio pelo episódio relatado" e reafirmou "o compromisso de atuar em prol do respeito às diferenças, repudiando toda e qualquer manifestação de preconceito". O centro cultural também informou que a funcionária envolvida no caso pertence ao quadro de colaboradores terceirizados e foi afastada, não exercendo mais atividades no local. Por meio de sua página no Facebook, o CCBB pediu desculpas a Éri Éri pelo "fato lamentável" e informou ainda que o episódio de discriminação foi registrado na 1ª Delegacia de Polícia, no Centro, para "apuração e responsabilização do autor".

  • Compartilhe:

Mais Burburinho

Parque Madureira não tem data para chegar à avenida Brasil

Prometida por Eduardo Paes para o ano passado, obra depende agora do aval de Marcelo Crivella

Que tal aterrar a Lagoa?

Livro reúne soluções mirabolantes já propostas para os problemas de um dos principais cartões-postais do Rio

Biblioteca Parque amanhece fechada no Centro

De acordo com Governo do Estado, fechamento é excepcional e prefeitura deve manter espaço aberto em 2017

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre cultura

De acordo com Governo do Estado, fechamento é excepcional e prefeitura deve manter espaço aberto em 2017

’Sem cultura é barbárie’

Artistas e gestores pedem que o Governo do Estado não acabe com a Secretaria Estadual de Cultura, e de quebra criticam o município por falta de transparência em Fomento às Artes

Novo endereço para criar e empreender

Espaço de ’coworking’ Gomeia surge como centro de articulação entre grupos atuantes em cultura na Baixada Fluminense

Cidade de Deus vira capital da literatura

Até domingo (13), Festa Literária das Periferias (Flupp) agita favela da zona oeste carioca

Mais sobre LGBT

Damas em Cena, na Lapa, oferece oficina de interpretação teatral para travestis e transexuais, aumentando sua autoestima e dando visibilidade a grupo marginalizado

Mais sobre preconceito

Um dos primeiros homens trans a ser operado no país, João Walter Nery acredita que
diminuir a burocracia para mudança de gênero é importante, mas não acaba com preconceito
Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino