Burburinho

  • Compartilhe:
Burburinho 10 / 08 / 2015| Carolline Leite

Campanha para arrecadação de absorventes para presas mobiliza mais de 9 mil pessoas no Rio, mas Seap rejeita doação

Após denúncia sobre a situação precária das detentas brasileiras, coletivos se organizam para coletar doações e ampliar o debate sobre a situação da mulher encarcerada.

A denúncia de que presas brasileiras precisam usar miolo de pão como absorvente, divulgada em junho deste ano, deu início a uma mobilização surpreendente nas redes sociais: a campanha de arrecadação de absorventes para presidiárias que, no estado do Rio, já conta com mais de 9 mil confirmados. A resposta da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro (Seap), contudo, jogou um balde de água fria na iniciativa: o órgão negou a doação, afirmando que no mesmo mês havia licitado a compra de uma remessa de absorventes.

Apesar da rejeição, a realidade das presas não parece ser de fartura, segundo relatos de organizações de direitos humanos. "Sempre que visitamos as unidades prisionais, escutamos reclamações de falta de absorventes. As presas os recebem, mas talvez não na quantidade de que necessitam", explica Vera Alves, do Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura do Rio de Janeiro.

JPEG - 69.2 kb
Absorventes arrecadados em apenas um dos pontos de coleta (foto: Bel Junqueira)

Segundo integrantes do Coletivo Saaanta Mãe, que iniciou a campanha no Rio, a Seap agradeceu a iniciativa, mas rejeitou a doação. A justificativa foi a compra, por pregão eletrônico, de 37.500 pacotes de absorventes destinados às internas. A informação foi publicada no Diário Oficial do estado, no dia 29 de julho.

Questionada pelo Vozerio, a assessoria do órgão acrescentou ainda que há 10.394 pacotes em estoque e que os absorventes comprados nessa última licitação poderão ser requeridos, conforme a demanda das unidades, ao longo dos próximos quatro meses. O kit básico de higiene, entregue para todos os detentos, é composto de sabonete, papel higiênico, escova de dentes e creme dental. "Para as mulheres incluem-se os absorventes íntimos, quando solicitados", informou a secretaria.

Após a resposta da Seap, as organizadoras da campanha estão agora pensando no próximo passo. A arrecadação, que iria até dia 30 de agosto, foi suspensa, e o coletivo está coletando sugestões de locais para onde direcionar os absorventes já coletados. Na página do evento no Facebook, abrigos e organizações que atendem mulheres em situação de rua foram citados como opções.

O tamanho da mobilização impressionou até mesmo as integrantes do coletivo. "Criei o evento e viajei de férias com meu filho. Quando retornei, já tinham quase 5 mil confirmados", contou a fotógrafa Bel Junqueira, integrante do Saaanta Mãe e uma das coordenadoras da mobilização. Em 10 dias, do dia 12 ao dia 22 de julho, a campanha no Facebook viralizou na rede e já conta com mais de 9 mil perfis confirmados e 47 pontos de coleta.

Para as mobilizadoras da campanha,"doações não resolvem o problema, doações mobilizam pessoas. E pessoas mobilizadas fazem pressão para que pessoas cumpram suas funções." O principal ganho, para elas, foi a expansão do debate e o conhecimento dessa questão pela população.

  • Compartilhe:

Mais Burburinho

Parque Madureira não tem data para chegar à avenida Brasil

Prometida por Eduardo Paes para o ano passado, obra depende agora do aval de Marcelo Crivella

CCBB é palco de protesto após episódio de lesbofobia

Visitante acusa namorado de funcionária de discriminação durante ida ao local na última sexta (30)

Que tal aterrar a Lagoa?

Livro reúne soluções mirabolantes já propostas para os problemas de um dos principais cartões-postais do Rio

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre feminismo

Rede Agora Juntas encerra neste sábado (17), na Glória, experiência que debateu direitos das mulheres

Documentário, campanha e evento discutem igualdade de gênero

Filme sobre estereótipos masculinos foi publicado hoje no Youtube; campanha #ElesporElas vai incentivar compromisso contra discriminação de gênero

Câmara municipal ou clube do bolinha?

Número de candidatos é mais que o dobro que o de candidatas nas cinco maiores cidades da região metropolitana do Rio

Volições de Albertina

Esquecida pela história e pelas editoras, a escritora carioca Albertina Bertha (1880-1953) começa a ter sua obra redescoberta — 100 anos depois da publicação de seu primeiro livro, "Exaltação"

Mais sobre saúde

Taxa de incidência da doença na região é quase 30 vezes maior que o recomendado por Organização Pan-americana de Saúde

Cinco desafios para o próximo prefeito do Rio

Especialistas em saúde, educação, mobilidade, segurança e economia apontam os principais problemas que o novo gestor da cidade vai precisar resolver

Criador do Hotel da Loucura, programa de saúde mental da Prefeitura do Rio, é exonerado

Psiquiatra que coordena o projeto há seis anos, Vitor Pordeus se diz alvo de "perseguição política"; secretaria argumenta que o médico "quebrou o vínculo" com órgão ao aceitar proposta de realizar doutorado no Canadá

Quando o policial é alvo de sua própria arma

Em entrevista, Dayse Miranda, pesquisadora da UERJ discute o suicídio cometido por policiais militares no Rio, um drama silencioso

Mais sobre sistema penitenciário

De dormitório a sex shop, um mercado informal floresce em torno do Complexo Penitenciário de Gericinó, voltado aos milhares de visitantes diários das 26 unidades prisionais do bairro

Grávidas no cárcere

Em pesquisa recém-lançada, a professora de direito penal Luciana Boiteux traça um perfil das gestantes e puérperas presas no Rio

Antes que o réu esfrie

Adotado no Rio desde setembro, projeto de audiências de custódia determina que toda pessoa presa em flagrante veja um juiz "sem demora"
Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino