Burburinho

  • Compartilhe:
Burburinho 10 / 05 / 2016| Laís Jannuzzi

Centro de discussão do jornalismo, a Casa Pública terá debates e projetos sobre os Jogos Olímpicos

Com a aproximação da Rio 2016, a Casa Pública, em Botafogo, prepara uma programação especial. O espaço abrigará residências, exposições interativas e laboratórios de jornalismo com objetivo de mostrar o impacto dos jogos na vida dos cidadãos.

Foto: Manifestação contra a realização das Olímpíadas na praia de Copacabana (Tomaz Silva / Agência Brasil)

Quatro jornalistas estrangeiros terão uma missão especial durante a Rio 2016. Eles serão selecionados para cobrir os jogos olímpicos com um olhar voltado para questões relacionadas aos direitos humanos. Batizado de Residência Pública, o projeto é promovido pela Casa Pública, espaço dedicado à atividade jornalística inaugurado em março no bairro de Botafogo. A iniciativa tem inscrições abertas até o próximo dia 12/5. Já a lista de profissionais selecionados sai no dia 20.

Além desse projeto, outros eventos devem movimentar a Casa Pública nos próximos meses. Um exemplo é uma entrevista aberta ao público com o quarteto de fotojornalistas formado por Ana Carolina Fernandes, Carlos Junior, Kátia Carvalho e Luiz Baltar. A conversa acontece no próximo dia 14/5 no casarão no nº 81 da rua Dona Mariana.

“Fazer conversas públicas e trazer a participação para o mundo offline é uma das possibilidades que mais nos motiva", afirma Natalia Viana, codiretora da Agência Pública, lançada em São Paulo há cinco anos. "Quando o nosso conteúdo viraliza, podemos conversar cara a cara com nossos leitores e outros jornalistas”, explica ela. Natalia tem uma visão crítica em relação à Rio 2016. “As Olimpíadas encerram um ciclo de transformações que afetou negativamente milhares de brasileiros”, argumenta.

Aquecimento

Na Casa Pública, o aquecimento para a maratona olímpica já começou. Em cartaz no local, a exposição fotográfica "Legados" apresenta uma retrospectiva da cobertura independente de megaeventos recentes. A mostra reúne imagens que retratam episódios de violência durante a Copa do Mundo em 2014 e o período pré-olimpíada. Fotógrafos como João Roberto Ripper e coletivos como a Mídia NINJA — além de muitos outros nomes que registraram abusos nessa época — são alguns dos autores das obras expostas.

No início de julho, a Casa abrigará também uma exposição interativa com reportagens sobre a Copa e Olimpíadas. Uma dela será parte do trabalho desenvolvido pela jornalista colombiana Olga Lucía Lozano, fundadora do site La Silla Vacía e vencedora do Prêmio Gabriel Garcia Marques em Inovação de 2013. Ela já é residente do espaço e integra um dos laboratórios que estuda a ligação entre direitos humanos e os jogos olímpicos. A ideia é que as reportagens produzidas ao longo desses "labs" tenha formato transmídia, com presença dentro e fora da internet. “O mais importante é ter gente que se engaje na ideia e ajude a construir uma narrativa inovadora usando tecnologia”, resume Natalia.

  • Compartilhe:

Mais Burburinho

Parque Madureira não tem data para chegar à avenida Brasil

Prometida por Eduardo Paes para o ano passado, obra depende agora do aval de Marcelo Crivella

CCBB é palco de protesto após episódio de lesbofobia

Visitante acusa namorado de funcionária de discriminação durante ida ao local na última sexta (30)

Que tal aterrar a Lagoa?

Livro reúne soluções mirabolantes já propostas para os problemas de um dos principais cartões-postais do Rio

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre Imprensa

Segurança de jornalistas que cobrem protestos e acompanharão Rio 2016 preocupa Repórteres Sem Fronteiras

Notícias falsas no quarto maior jornal do país

Em bate-papo na Biblioteca Parque Estadual, autores do Sensacionalista revelaram bastidores e o processo criativo das manchetes fictícias

Sensacionalista: quando as notícias são absurdas, o humor disputa com a verdade

Próxima edição do Conversas na Biblioteca levará os autores do site de notícias falsas mais acessado do Brasil para discutir o riso como instrumento de crítica

A crise existencial dos jornais impressos

Jornalista há 20 anos, Sérgio Ramalho compara seus tempos de ’foca’ ao momento de crise e demissões nas redações

Mais sobre jornalismo

Mais sobre Direitos Humanos

Urbanista Raquel Rolnik discute transformação da habitação, de política social em ativo financeiro, em novo livro lançado no Rio

"O sistema de Justiça tem de ser usado em favor da defesa dos direitos"

Escolhido pelo voto de organizações da sociedade civil, Pedro Strozenberg conta como articular as ações da Defensoria Pública do Rio de Janeiro com as causas de organizações que atuam em defesa dos Direitos Humanos.

Mais sobre Olimpíadas

Testemunhas contam o que viram de um dos anos mais agitados dos últimos tempos

Campanha para discutir desafios do Rio pós-Jogos será lançada amanhã

Iniciativa reúne 49 entidades do Rio e do Brasil e busca compromisso de candidatos com transparência, planejamento de metas e diálogo

O Rio não é só futebol

Ensino e prática de modalidades esportivas pouco comuns entre os brasileiros — como beisebol e badminton — se espalham pela região metropolitana

Memórias olímpicas para o futuro

Projeto da Fundação Casa de Rui Barbosa reunirá documentos para contar a história da Rio 2016

Mais sobre esportes

Para o cineasta Pedro Asbeg, um dos diretores do documentário Geraldinos, a extinção da Geral do Maracanã reflete a gentrificação da cidade
Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino