Burburinho

  • Compartilhe:
Burburinho 22 / 02 / 2016| Isabela Fraga Laís Jannuzzi

Cerca de 50 mil litros de chorume vazam de aterro sanitário de Seropédica

Aquífero Piranema, um dos mais importantes da região, pode ser atingido; vazamento foi contido no domingo (21) e empresa tem até amanhã para se pronunciar.

[Foto de divulgação do CTR Seropédica]

Matéria atualizada às 17h37 do dia 22/2 com a nota divulgada pela Ciclus, empresa que opera o CTR Seropédica.

Cerca de 50 mil litros de chorume vazaram do Centro de Tratamento de Resíduos (CTR) de Seropédica durante o dia de ontem, domingo (21/2). O vazamento coloca em risco o aquífero Piranema, reserva de água subterrânea localizada logo abaixo do aterro sanitário que pode abastecer a população carioca em caso de necessidade.

Segundo o subsecretário de Ambiente de Seropédica, Luciano Santoro, o vazamento foi contido no próprio domingo pela Secretaria de Ambiente do município e pelo Serviço de Operações de Emergência (Sopea) do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). "Já enviamos sete autos de notificação e dois de constatação para a Ciclus [nome fantasia da empresa que gerencia da CTR], que tem até amanhã para apresentar um relatório da situação", informou Santoro em entrevista por telefone ao Vozerio.

Segundo Santoro, ainda não se sabe se o chorume vai de fato contaminar o aquífero, nem em que grau. "Ainda não sabemos o tamanho do dano ambiental", explicou o subsecretário.

Em nota pública, o Inea afirmou que a forte chuva que atingiu o município no sábado (20/2) provocou uma queda de energia. "Com a falta de luz, a bomba usada para transferir o chorume de uma bacia de estocagem para a Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) parou de funcionar. O líquido então transbordou e atingiu o valão do Brejo que fica próximo ao local", explica a nota.

Para a agrônoma Rosângela Straliotto, pesquisadora da Empresa Brasileira de Agropecuária (Embrapa) e ex-presidente do Conselho da Cidade de Seropédica, o reservatório para o chorume é pequeno demais. “O transbordamento do chorume é resultado de uma falha na dimensão do reservatório. A área é conhecida por apresentar chuvas fortes, então a capacidade de armazenamento deve ser pensada para segurar esse acréscimo no volume. Se não for feito o devido reparo, a repetição do episódio parece inevitável”, afirmou ela.

Ainda segundo o Inea, a Ciclus está neste momento trabalhando na sucção do chorume para dentro da ETE e deverá ser autuada e multada.

"Desastre anunciado"
Construído em 2011 para receber o lixo que antes era levado para os lixões de Gramacho e Gericinó, o projeto do aterro sanitário de Seropédica foi bastante criticado pela localização em que seria implantado. "O subsolo em volta do aquífero Piranema é arenoso, isso significa que a porosidade do terreno absorverá o vazamento", avalia Straliotto. "Uma vez que o chorume penetre o solo não tem mais volta. O que deve ser feito agora é um estudo sério da dimensão dos danos causados”, afirma ela.

Para os que se opuseram desde o começo à construção do aterro sanitário acima do aquífero, o episódio não foi surpresa. "É um desastre anunciado", afirmou a advogada Maria José Salles, atual presidente do Conselho da Cidade. "Vamos ouvir alguns técnicos para entender o impacto desse vazamento na irrigação de lavoura e de pequenos agricultores, que consomem a água diretamente do aquífero", explicou ela.

A estação de tratamento de chorume da CRT Seropédica só começou a operar no final de 2014, após receber diversas notificações e multa do Inea. E, mesmo em 2015, ambientalistas já advertiam para a necessidade de um controle mais rigoroso da poluição na região.

A Ciclus respondeu ao contato do Vozerio às 17h35 desta segunda-feira (22/2) com a seguinte nota:

"Em decorrência da queda no fornecimento de energia na região Seropédica, no dia 21 de fevereiro , e dos danos causados no gerador de energia instalado na CTR, após ser atingido por um raio, a Ciclus constatou vazamentos de efluentes na área do Centro de Tratamento de Resíduos.
 
A Ciclus informa que notificou prontamente as autoridades ambientais sobre o ocorrido, trabalhou e conteve imediatamente o vazamento. Informa, ainda, que o vazamento atingiu área da própria CTR, que é impermeabilizada e atingiu também o início do Canal da Vila que foi totalmente limpo.
 
Esclarece, ainda, que o aquífero Piranema não foi atingido pelos efluentes e não corre risco de contaminação.
 
Por fim, a Ciclus esclarece que atende a todas as exigências impostas pela legislação ambiental e que está cooperando com as autoridades."
  • Compartilhe:

Mais Burburinho

Artista plástico cria moeda solidária carioca que vale cerca de uma hora

No projeto "Banco dos Irreais", o mexicano José Miguel Casanova quer estimular a troca direta de tempo, serviços e experiências entre as pessoas sem a intermediação de dinheiro

Criador do Hotel da Loucura, programa de saúde mental da Prefeitura do Rio, é exonerado

Psiquiatra que coordena o projeto há seis anos, Vitor Pordeus se diz alvo de "perseguição política"; secretaria argumenta que o médico "quebrou o vínculo" com órgão ao aceitar proposta de realizar doutorado no Canadá

Centro de discussão do jornalismo, a Casa Pública terá debates e projetos sobre os Jogos Olímpicos

Espaço em Botafogo dedicado ao jornalismo investigativo planeja reportagens especiais, laboratórios e exposições interativas sobre os impactos dos megaeventos na vida dos brasileiros

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre meio ambiente

Famílias de pescadores ameaçadas de remoção da praia de Niterói torcem por acordo com a Prefeitura até sexta-feira

Em São Gonçalo, estrada divide Petrobras e prefeitura

Via construída pela empresa é acusada de agravar o problema dos alagamentos no Jardim Catarina

PPPs em saneamento básico: uma luz no fim do túnel?

Alternativa é vista como uma solução possível para o problema crônico da Região Metropolitana do Rio, mas ainda não é unanimidade

Com barragem, canal não está pra peixe

Estrutura em Santa Cruz que serve água a indústrias dificulta navegação e inviabiliza pesca

Mais sobre lixo

O lixão de Duque de Caxias foi fechado, mas o lixo está por toda parte, integrando-se ao cotidiano das crianças

Comunidades livram-se do lixo

Semana Lixo Zero, aberta nesta quarta-feira (21) na Alerj, chama atenção para projetos de reciclagem e limpeza de vias que mobilizam moradores de favelas.
Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino