Burburinho

  • Compartilhe:
Burburinho 16 / 12 / 2016| Vitória Régia da Silva

De mulher para mulher: ocupação feminista no Rio

Durante cinco semanas, integrantes de coletivos e outros grupos ligados aos movimentos feministas se reuniram na Glória para discutir os direitos das mulheres. Batizada de Ocupação Colaborativa Feminista Agora Juntas, a experiência que acaba neste sábado (17) incluiu exibições de filmes, aulas de criação literária e outras atividades

Foto: Participantes da ocupação (Yemisi Experience Nº 1/ Divulgação)

Um encontro com muita música e alegria neste sábado (17) marcará o encerramento da Ocupação Colaborativa Feminista Agora Juntas. Durante cinco semanas, a iniciativa promoveu mais de 20 atividades no Instituto Rose Marie Muraro (ICRM), na Glória. Mobilizar as participantes em prol dos direitos das mulheres e dos movimentos feministas foi o principal objetivo da experiência.

Iniciada em 11 de novembro, a ocupação funcionou de 2ª à 6ª, de 9h às 18h, com encontros eventuais à noite e nos fins de semana. Participaram da ação integrantes de coletivos e outros grupos ligados aos movimentos feministas no Rio de Janeiro. Elas eram livres para propor oficinas, rodas de conversa, palestras e outros tipos de atividade. O formato resultou em uma programação com exibições de filmes, aulas de criação literária e debates sobre como enfrentar a violência e se articular para obter avanços em relação a direitos reprodutivos - entre outros eventos.

"As mulheres conseguiram cultivar e multiplicar uma cultura de autocuidado"

Aline Ferreira tem 32 anos e é organizadora da Feira Velcrx. Durante a ocupação, ela conheceu feministas e ampliou sua rede de contatos dentro do movimento. "Aplaudo muito e quero mais”, afirmou ela sobre a iniciativa. "A ocupação foi muito importante para entendermos que tem muita gente na mesma luta e que essa luta transforma nossas vidas“, diz Raquel Martins, de 25 anos, integrante do coletivo Feminicidade. Já Alzira Silva, de 34 anos, destacou a possibilidade de construir pautas coletivamente. "Fui me sensibilizando e me engajando nas atividades pelo modo acolhedor como tudo foi conduzido", revelou ela. "As mulheres conseguiram cultivar e multiplicar uma cultura de autocuidado", resume Debora Albu, de 26 anos, gestora da rede Agora Juntas, que organizou a ocupação.

JPEG - 64.2 kb

Formada por coletivos, organizações e outros movimentos feministas cariocas, a rede Agora Juntas se baseia em três eixos básicos: processo, solidariadade e cuidado. "O Fórum AWID nos fez refletir sobre a importância de também conectar as diferentes gerações de mulheres e compartilhar conhecimentos feministas que fortalecem nossa luta comum", comenta Debora, em uma referência ao encontro mundial que acontece de quatro em quatro anos e reúne ativistas que lutam pelos direitos das mulheres. Em setembro, a Bahia recebeu 13ª edição do evento. Dentre os planos da Agora Juntas para o futuro, há o desejo de transformar a ocupação temporária em definitiva, por meio da criação de uma casa colaborativa feminista no Rio de Janeiro.

A escolha do local para abrigar a ocupação não foi à toa. O ICRM iniciou suas atividades no ano de 2009. Desde o início, a meta do espaço é se tornar um polo de referência nos estudos do papel da mulher na sociedade e dos principais conceitos culturais, econômicos e socioambientais do ponto de vista do gênero. O nome da entidade homenageia a escritora brasileira que nasceu cega e foi uma das pioneiras do feminismo no país. "O Instituto Rose Marie Muraro está sem apoio financeiro. Então, um dos nossos objetivos principais com a ocupação é apoiá-lo, trazendo visibilidade e recursos”, explica Debora.

  • Compartilhe:

Mais Burburinho

Parque Madureira não tem data para chegar à avenida Brasil

Prometida por Eduardo Paes para o ano passado, obra depende agora do aval de Marcelo Crivella

CCBB é palco de protesto após episódio de lesbofobia

Visitante acusa namorado de funcionária de discriminação durante ida ao local na última sexta (30)

Que tal aterrar a Lagoa?

Livro reúne soluções mirabolantes já propostas para os problemas de um dos principais cartões-postais do Rio

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre política

Livro aborda transformações da Baixada Fluminense durante a ditadura

6 momentos do Rio em 2016

Testemunhas contam o que viram de um dos anos mais agitados dos últimos tempos

Prefeito eleito de Caxias é condenado a 7 anos de prisão por crime ambiental

De acordo com STF, Washington Reis (PMDB) se envolveu na criação de um loteamento ilegal quando era prefeito da cidade

Alerj começa a votar pacote de austeridade nesta terça (06)

Propostas como o aumento do ICMS enfrentam rejeição tanto de líderes da situação quanto de membros da oposição

Mais sobre feminismo

Filme sobre estereótipos masculinos foi publicado hoje no Youtube; campanha #ElesporElas vai incentivar compromisso contra discriminação de gênero

Câmara municipal ou clube do bolinha?

Número de candidatos é mais que o dobro que o de candidatas nas cinco maiores cidades da região metropolitana do Rio

Volições de Albertina

Esquecida pela história e pelas editoras, a escritora carioca Albertina Bertha (1880-1953) começa a ter sua obra redescoberta — 100 anos depois da publicação de seu primeiro livro, "Exaltação"

Mulheres de Caju e Manguinhos se reúnem para construir mapas afetivos da violência

Iniciativa da ONG Fase iniciada em 2014 realizou encontros semanais com moradoras das comunidades para mobilizar a população e gerar reflexão

Mais sobre Rio de Janeiro

Curso de idiomas ajuda refugiados a tentar um recomeço na região metropolitana do Rio

Que tal aterrar a Lagoa?

Livro reúne soluções mirabolantes já propostas para os problemas de um dos principais cartões-postais do Rio

Biblioteca Parque amanhece fechada no Centro

De acordo com Governo do Estado, fechamento é excepcional e prefeitura deve manter espaço aberto em 2017

Alerj vota mudanças no Rioprevidência nesta semana

Medida faz parte do pacote proposto pelo Governo do Estado, que entra em fase final de votação
Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino