Debates

  • Compartilhe:
Conversa na Biblioteca 25 / 09 / 2015|

Justiça com as próprias mãos: os tribunais das ruas

’Conversas na Biblioteca’ discute linchamentos, causas do desejo de vingança e métodos de fortalecer o diálogo

Se a Justiça não funciona, tenho o direito de punir um criminoso com minhas próprias mãos? A questão, antiga, ganhou força nos últimos dias com a reação de um grupo de moradores de Copacabana a arrastões realizados na praia. Para explorar esse tema, o Vozerio realiza mais uma edição do Conversas na Biblioteca, na próxima terça-feira, dia 29 de setembro, na Biblioteca Parque Estadual, no Centro.

Os convidados são Paulo Vaz, filósofo e professor da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e Pedro Strozenberg, secretário Executivo do Instituto de Estudos da Religião (ISER).

Pedro acredita que os acontecimentos recentes darão o tom da conversa. “O debate ganhou uma importância enorme. Vai deixar de ser uma coisa mais filosófica para ser muito mais concreta”, destaca. No contexto de animosidade atual, Pedro detecta uma combinação de revolta e desejo de anulação do diferente. Ele não acredita, contudo, que os linchamentos tenham se tornado mais comuns. “Estão, talvez, se tornando mais evidentes”, afirma.

Esses episódios demonstrariam uma falha na capacidade de comunicação e de diálogo. “Temos um esvaziamento nos espaços de entendimento. Está faltando a construção de pontes”, avalia Pedro, que é especialista em Mediação de Conflitos Comunitários. Essa iniciativa, acredita ele, deveria partir do poder público.

Paulo pretende fazer um histórico da compaixão – que ele considera um sentimento “muito perigoso” – para mostrar que, hoje, ela pode favorecer a vingança. “Você tem compaixão com o sofredor e isso, por outro lado, estimula o ódio em quem causou o sofrimento”, afirma. Isso seria comum em crimes que causam grande comoção, como o assassinato do médico Jaime Gold, morto a facadas na Lagoa Rodrigo de Freitas em maio.

O professor universitário lembra que os arrastões não são uma novidade, e aponta duas linhas de pensamentos dominantes sobre o problema. “Para alguns, a má sociabilização e a má educação levam ao crime. Outros supõem que o que tem que ser feito é prender, separar”, diz.

Mas ele põe em dúvida o papel do poder público no controle da violência, já que muitas vezes é o próprio Estado que age de forma violenta. “Pretendo questionar a ideia de que a barbárie é resultado de um indivíduo sem Estado”, explica. Essa seria uma atitude recorrente da classe média, que desejaria um Estado punitivo, para ser protegida.

O ciclo Conversas na Biblioteca é realizado pelo Vozerio, site dedicado ao debate e à cobertura do Rio de Janeiro metropolitano. A revista on-line é uma iniciativa do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (IETS), com apoio da Secretaria Estadual de Cultura, da Lei de Incentivo à Cultura e da Light.


Serviço:
Conversas na Biblioteca

Conversas na Biblioteca - “Justiça com as próprias mãos: os tribunais das ruas”
Com: Paulo Vaz, filósofo e professor da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e Pedro Strozenberg, secretário Executivo do Instituto de Estudos da Religião (ISER).
Data: 29/9/2015, terça-feira
Horário: 18h - 19h40
Local: Biblioteca Parque Estadual – Auditório Darcy Ribeiro
Endereço: Avenida Presidente Vargas, 1.261 – Centro.
Entrada Franca.

  • Compartilhe:

Mais Conversa na Biblioteca

Numa guerra sem vencedores, vitória é continuar a acreditar

Numa emocionante edição do "Conversas na Biblioteca", midiativista e pesquisadora discutiram os efeitos da política de drogas nas favelas do Rio

Notícias falsas no quarto maior jornal do país

Em bate-papo na Biblioteca Parque Estadual, autores do Sensacionalista revelaram bastidores e o processo criativo das manchetes fictícias

Guerra sem vencedores: a política de drogas na favela e no asfalto

Ana Paula Pelegrino e Raull Santiago discutem tema na próxima quarta-feira (24/2), a partir das 18h, na Biblioteca Parque Estadual

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre violência

Testemunhas contam o que viram de um dos anos mais agitados dos últimos tempos

Guerra ao fuzil

Como o combate a uma arma se tornou a maior prioridade do novo secretário de segurança do Rio

A nau sem rumo da segurança pública

Para o sociólogo Renato Sérgio de Lima, vice-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e professor da FGV, lideranças do Rio precisam parar de reduzir a segurança pública a uma mera gestão da legislação penal e das instituições policiais

Favelas do Rio amargam abril violento

Apenas no último mês, PM e traficantes mataram pelo menos 15 pessoas no Jacarezinho, na Mangueira e em outras comunidades

Mais sobre racismo

Até o fim do ano, prefeitura do Rio vai divulgar mapa dos terreiros de umbanda da cidade

Curta- metragem discute o universo do samba

Curta sobre a imposição de padrões de beleza no carnaval estréia nesta sexta-feira, 4/11

Negros, libertos e monarquistas

Existência da Guarda Negra, irmandade secreta de negros surgida após promulgação da Lei Áurea, é um episódio esquecido da história do Brasil

Rio recebe primeira edição do Fórum Itinerante de Cinema Negro a partir desta terça (12/4)

Na sessão de abertura, será exibido filme do cineasta senegalês Ousmane Sembène, "pai do cinema africano"; evento terá ainda outras três sessões ao longo do ano no Centro
Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino