Pensatas & paixões

  • Compartilhe:
Pensatas 10 / 03 / 2015|

Motivos para manter o otimismo

Por Julio Bueno

Neste momento em que o Rio de Janeiro e o Brasil vivem uma crise que, no nosso Estado, é agravada pela redução do preço internacional do petróleo e a paralisação dos investimentos da Petrobras, é importante listar alguns (importantes) motivos para uma boa dose de otimismo.

A despeito das dificuldades conjunturais, o momento histórico que vivemos no Rio hoje é, provavelmente, o mais promissor das últimas décadas. Paramos de correr atrás do prejuízo para, finalmente, acertar o passo e nos posicionarmos no século 21 com todas as perspectivas de realização das nossas maiores potencialidades.

A Petrobras tem corpo técnico e musculatura para superar esta que é a maior crise da sua história. No longo prazo, as perspectivas são muito positivas. Segundo projeções da Agência Internacional de Energia, o Estado vai absorver cerca de 80% dos US$ 55 bilhões anuais que o Brasil receberá, no setor petrolífero, até 2035.

Não há dúvida de que o Rio de Janeiro é e continuará sendo o principal destino das empresas estrangeiras que estão vindo para o País para aproveitar as oportunidades que serão geradas pela produção prevista de 6 milhões de barris/dia de petróleo nos próximos 20 anos.

A economia fluminense será, cada vez mais, menos dependente do setor de óleo e gás.

Mais importante que isso, porém, é que a economia fluminense será, cada vez mais, menos dependente do setor de óleo e gás. Está claro que o petróleo ainda terá importância significativa para o nosso desenvolvimento mas, desde 2007, iniciamos um irreversível processo de diversificação da indústria do Estado.

Muito além do petróleo, o Estado está desenvolvendo a sua indústria de transformação e já é um dos principais polos de desenvolvimento tecnológico do País. Além dos muitos centros de pesquisa internacionais que escolheram o Rio para se instalar nos últimos anos, também atraímos importantes investimentos automotivos, com contribuição direta para a economia dos municípios onde as montadoras e seus fornecedores estão instalados, sobretudo no Médio Paraíba.

Nos próximos anos, testemunharemos o desenvolvimento de setores que vinham engatinhando no Estado e ganham crescente importância na geração de emprego e renda, como os segmentos de alimentos, bebidas, cosméticos, farmacêutico e de biotecnologia.

A luta do governo do Estado, iniciada em 2007, de atrair investimentos industriais e desenvolver as indústrias já instaladas em território fluminense, tem tido resultados significativos no mercado de trabalho. A Região Metropolitana do Rio de Janeiro tem, hoje, a maior renda média real entre todas as regiões pesquisadas pelo IBGE.

Essa liderança se repete na indústria, setor no qual, no rendimento, o Rio já supera o estado mais industrializado do País, que é São Paulo. O patamar de nossa taxa de desemprego é cada vez mais baixo, com a consolidação de um mercado de trabalho sólido, aquecido.

Por tudo isso, reitero a minha confiança na continuidade do nosso crescimento. O Estado não é uma ilha e, inevitavelmente, tem sentido o peso das grandes dificuldades que obscurecem, momentaneamente, a economia brasileira. Porém, as importantes mudanças estruturais empreendidas nos últimos anos e que prosseguem em curso vão assegurar ao nosso Estado o futuro que ele merece, com menos desigualdade, mais renda, mais riqueza e desenvolvimento para todos.

  • Compartilhe:

Convidado

Julio Bueno

Julio Bueno é Secretário de Estado de Fazenda do Rio de Janeiro e ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços.

Mais Pensatas

Recado da Cidade de Deus

Pesquisador do CESeC relata a indignação de moradores da Cidade de Deus se reuniram em um protesto na quinta-feira (24/11) contra o uso de mandado de busca coletivo nas ações policiais

Novo endereço para criar e empreender

Espaço de ’coworking’ Gomeia surge como centro de articulação entre grupos atuantes em cultura na Baixada Fluminense

O Filósofo do Samba

Nascido há 100 anos, sambista Silas de Oliveira é autor de uma obra atemporal, que vem sendo resgatada por uma nova geração de músicos

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre economia

Após 30 anos de trabalho na rede estadual, aposta nos salgados para comprar comida e pagar dívidas que ultrapassam R$ 600

Empresas em dívida com o Estado do Rio receberam isenção fiscal

Levantamento aponta que 22 empreendimentos somaram débitos que ultrapassam R$ 9 bilhões. PSOL quer que MP investigue o governo por crime de improbidade administrativa

Cinco desafios para o próximo prefeito do Rio

Especialistas em saúde, educação, mobilidade, segurança e economia apontam os principais problemas que o novo gestor da cidade vai precisar resolver

Investidores já podem comprar ações do futuro

Títulos de impacto social oferecem mecanismos de financiamento para projetos de saúde, redução do desemprego e reincidência de presos

Mais sobre crise

Testemunhas contam o que viram de um dos anos mais agitados dos últimos tempos

Biblioteca Parque amanhece fechada no Centro

De acordo com Governo do Estado, fechamento é excepcional e prefeitura deve manter espaço aberto em 2017

"Não somos black blocs"

Policiais e outros servidores enfrentam bombas de gás e spray de pimenta em protesto contra pacote de medidas de austeridade enviado à Alerj

Crise no Rio de Janeiro: o vilão é mesmo o servidor público?

Para o presidente do Instituto de Estudos sobre o Rio de Janeiro (Ierj), não há excesso de servidores na maioria das áreas do governo estadual — mas, sim, falta
Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino