Reportagens

  • Compartilhe:
Região Metropolitana 19 / 01 / 2016| Saulo Pereira Guimarães

Novo estudo identifica os centros do Grande Rio

Onde pulsa o Grande Rio? Um levantamento do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets) promete responder a esta pergunta. O projeto, batizado de Centralidades da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, fará um raio x da Cidade Maravilhosa e dos outros 20 municípios no seu entorno, onde vivem 12 milhões de pessoas. O objetivo é identificar os pontos onde há maior quantidade e variedade dos serviços mais usados pela população e repensar a integração da metrópole a partir desses locais.

(Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Para isso, pesquisadores subdividiram a região metropolitana em 152 unidades metropolitanas de informação (UMI). As UMIs têm entre 300 e 30 mil domicílios e estão sendo avaliadas em função de três critérios básicos. São eles: emprego, mobilidade e equipamentos e serviços. No primeiro, são analisados os tipos de empresas e vagas de trabalho da UMI. No segundo, o fluxo de passageiros e a infraestrutura de transporte. No terceiro, a presença de escolas, bancos e outros serviços do dia a dia.

Quanto maior e mais diversa for a oferta da UMI em relação a esses três aspectos, maior seu índice de centralidade. Após identificarem os pontos centrais do Grande Rio, os pesquisadores pretendem qualificá-los em relação a indicadores como número de roubos, densidade demográfica e renda média dos moradores. Todos os dados são fornecidos por fontes oficiais, como os ministérios do Trabalho e da Saúde. No fim, as informações formarão um retrato das qualidades e deficiências dos muitos centros da região metropolitana. A expectativa é que tudo esteja pronto antes de abril.

No futuro, o levantamento poderá orientar políticas públicas em saúde e outras áreas. "Não faria sentido ter um hospital ortopédico em cada cidade do Grande Rio", exemplifica o diretor do Iets Manuel Thedim. Sabendo onde as pessoas vão, fica mais fácil distribuí-los. Segundo Vicente Loureiro, diretor do Grupo Executivo de Gestão Metropolitana, a economia que isso representa em tempos de crise é muito bem-vinda. "Uma mudança de infraestrutura pode mudar o destino de uma localidade", disse ele em entrevista ao Vozerio.

Desafios

A execução de um estudo como esse está cercada de desafios. "Um dos principais é quantificar a informalidade", afirma a economista Maína Celidonio, envolvida no projeto. Nestes casos, a solução é cruzar os dados. O movimento de passageiros em Madureira, por exemplo, reflete a vitalidade do comércio informal, atraindo tanto vendedores quando o público comprador. Obter dados relacionados a pequenas áreas, como bairros e distritos, é outro obstáculo com o qual os pesquisadores se depararam e precisaram superar.

O trabalho não é o único em andamento ligado ao Grande Rio. Um consórcio de alto nível começou a desenvolver nesta semana o Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano Integrado da Região Metropolitana, que irá definir a expansão da rede de saneamento básico, a criação de novas linhas de ônibus intermunicipais e outras ações coordenadas entre as 21 prefeituras e o Governo do Estado. Tocam o projeto a Quanta Engenharia e o escritório do arquiteto e urbanista Jaime Lerner. O ex-prefeito de Curitiba implantou em 1974 na cidade o BRT (sigla em inglês para sistema de trânsito rápido de ônibus), ideia que chegou ao Rio quase 40 anos depois. O Plano de desenvolvimento é uma iniciativa da Câmara Metropolitana de Integração Governamental do Rio de Janeiro (CIG), criada em agosto de 2014.

Histórico

A visão de uma região metropolitana fluminense integrada não é nova. Ela tem, pelo menos, 41 anos. Em 15 de março de 1975, um decreto do governador Negrão de Lima criou a Fundação para o Desenvolvimento da Região Metropolitana (Fundrem). A função do órgão era auxiliar os prefeitos da área com o planejamento e solução problemas comuns aos municípios, como coleta de lixo, ocupação do solo e outros. Mas a falta de recursos e de uma função clara fizeram com que a Fundrem fosse extinta em 1989 por Moreira Franco.

Em 1997, Marcelo Alencar trouxe o tema da integração metropolitana à baila novamente. O então governador enviou à assembleia legislativa um decreto criando o coordenamento único para a gestão de água e saneamento básico no Grande Rio. A medida, porém, não foi bem recebida e terminou virando alvo de uma ação de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF). O tribunal demorou 17 anos para dar o veredicto, que foi a favor da lei. Desde então, não surgiram novas iniciativas de peso focadas na região metropolitana fluminense.

Na última década, a expansão foi mais forte do que o adensamento territorial no Grande Rio. O forte crescimento populacional previsto pela prefeitura da capital para áreas como a Barra da Tijuca é uma prova de que essa tendência deve continuar nos próximos anos. Fenômenos como esse caminham ao lado de problemas ainda sem solução. De acordo com dados do IBGE, a região metropolitana fluminense é aquela na qual os moradores mais demoram para chegar ao trabalho.

A esperança é que estudos como o desenvolvido pelo Iets e projetos como o Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano Integrado da Região Metropolitana ajudem a desfazer esse e outros gargalos da área, que responde por sozinha quase 60% das riquezas produzidas pelo estado.

  • Compartilhe:

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre mobilidade

Nova lei divulgada nesta segunda (28) quase vetou operação do aplicativo no Rio

Os reis do Uber

Motoristas veteranos no aplicativo investem em frotas para alugar aos que não têm condições de comprar seu próprio carro

Cinco desafios para o próximo prefeito do Rio

Especialistas em saúde, educação, mobilidade, segurança e economia apontam os principais problemas que o novo gestor da cidade vai precisar resolver

Lugar de bike é na rua

No Méier, com os ativistas do Bike Anjo, repórter do Vozerio testa como é pedalar em ruas sem ciclovia. Bairro tem debate hoje sobre o tema

Mais sobre infraestrutura

Recuperação da baia é tema central da posse do Conselho do Plano Metropolitano, que vai colaborar na formulação de estratégia de desenvolvimento para a Região Metropolitana

Paraíba do Sul: torrente de ameaças

Debate na Biblioteca Parque Estadual reúne engenheiro e realizadores de cinema para conversar sobre estado atual do rio que abastece o Rio

Segunda no parque

Gente de todos os tipos e idades ocupou o Parque de Madureira neste Dia das Crianças — quando foram inauguradas três cascatas d’água, chamadas pela prefeitura de "Praia de Rocha Miranda"

Evento discute alternativas à crise de habitação

Ciclo de palestras no Studio-X debate modelos alternativos de moradia no Brasil e no mundo, como a autoconstrução e a habitação multifamiliar

Mais sobre saúde

Taxa de incidência da doença na região é quase 30 vezes maior que o recomendado por Organização Pan-americana de Saúde

Criador do Hotel da Loucura, programa de saúde mental da Prefeitura do Rio, é exonerado

Psiquiatra que coordena o projeto há seis anos, Vitor Pordeus se diz alvo de "perseguição política"; secretaria argumenta que o médico "quebrou o vínculo" com órgão ao aceitar proposta de realizar doutorado no Canadá

Quando o policial é alvo de sua própria arma

Em entrevista, Dayse Miranda, pesquisadora da UERJ discute o suicídio cometido por policiais militares no Rio, um drama silencioso

Cinco visões sobre o futuro do Rio

No aniversário do Rio de Janeiro, Vozerio conversou com especialistas para ouvir suas expectativas em relação ao futuro da cidade.

Mais sobre Região Metropolitana

Curso de idiomas ajuda refugiados a tentar um recomeço na região metropolitana do Rio

Novo projeto vai mapear subsolo da região metropolitana

Batizado de Geovias Metropolitano, trabalho iniciado nesta sexta (16) será coordenado pela Câmara Metropolitana

Estudo aponta centralidades emergentes na região metropolitana do Rio

Campo Grande e Taquara foram áreas citadas em pesquisa, apresentada nesta terça (06) em evento no Centro do Rio

Um diagnóstico sobre a região metropolitana do Rio

Evento nesta segunda (24) marcou a divulgação dos resultados da primeira fase do plano metropolitano
Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino