Debates

  • Compartilhe:
OsteRio 2 / 07 / 2015|

OsteRio debate o futuro do carnaval carioca na próxima quarta

Ainda faltam sete meses, mas as preparações já começaram. Com um time de bambas que vive e conhece o tema, o Vozerio quer saber: é possível realizar um Carnaval organizado, seguro e deslumbrante sem perder a espontaneidade?

Faltam sete meses para o Carnaval e o trabalho de preparação da festa já está em curso. Por isso, o Vozerio planejou uma discussão sobre o futuro do Carnaval carioca no próximo OsteRio na próxima quarta-feira (8/7).

Nos últimos anos, o carnaval de rua tem crescido vertiginosamente: só em 2015, os blocos mobilizaram cinco milhões de pessoas na cidade, segundo a RioTur. O Sambódromo, por sua vez, tem mobilizado milhões de pessoas — e de reais: na última edição, foram investidos R$ 35 milhões!

Muitas perguntas estão no ar: como garantir o brilho, a segurança e a organização da festa sem tirar dela a espontaneidade e a alegria? Os enredos patrocinados têm prejudicado ou favorecido o carnaval? Qual é a importância do carnaval para a identidade, a cultura e a economia do Rio de Janeiro?

Para debater essas questões, convidamos um time de bambas que conhece e vive o tema:

Flávia Oliveira, colunista do jornal O Globo e comentarista da GloboNews;
Felipe Ferreira, coordenador do Centro de Referência do Carnaval e professor do Instituto de Artes da UERJ;
Rita Fernandes, presidente da associação de blocos de rua Sebastiana e colunista do jornal O Dia.

O encontro terá a mediação de Anabela Paiva, editora do Vozerio.

"Uma das discussões que temos feito é a do direito à cidade. Há um grupo que defende que o carnaval é anárquico e portanto não deve ser regulado pelo poder público", explica Rita. "Mas com existem 456 blocos autorizados — e sabemos que existem pelo menos mais 50 --- é preciso encontrar um ponto de equilíbrio, regulamentar sem perder a espontaneidade."

Outra questão importante é a viabilidade financeira do carnaval. "Muitas pessoas acham que os blocos têm muito dinheiro e recebem recursos da Prefeitura", aponta Rita. "Não sabem que este patrocínio é exclusivamente para pagar despesas de infra-estrutura, trânsito e segurança. O nosso desafio é elaborar um modelo de marketing do carnaval criativo, que contemple o patrocinador e não descaracterize a festa."

Para Flavia, o carnaval do Sambódromo empacou numa "pane criativa". "Velhos patrocinadores, como Unimed e Nestlé, deram adeus ao Sambódromo; falta de transparência atrapalha a profissionalização das agremiações; enredos de aluguel dão sinais de fadiga junto ao público. A conjuntura econômica adversa do Brasil neste 2015 era o ingrediente que faltava para destravar a reflexão, eternamente adiada, sobre o futuro da festa", afirmou a jornalista em coluna publicada no Globo em junho deste ano.

Os patrocínios nem sempre são um problema. ""Não tenho nada contra enredo patrocinado", afirma Felipe Ferreira. "Mas a festa não precisa ter esse tamanho todo.
O enredo não patrocinado pode gerar um carnaval menor em termos de riqueza de luxo, mas que não seja menor em termos de criatividade, beleza e animação."

A série de debates OsteRio é realizada pela revista Vozerio, uma iniciativa do IETS, com patrocínio da Light e da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro e apoio do restaurante Osteria Dell’Angolo. Lançada em março, a revista reúne vídeos, artigos, reportagens e entrevistas, sempre com foco na vida cotidiana e no desenvolvimento da metrópole do Rio de Janeiro.

Desde 2009, o OsteRio reúne um grupo eclético de jornalistas, empresários, políticos, acadêmicos, ativistas, estudantes e profissionais liberais para refletir sobre os temas culturais, econômicos, sociais e ambientais.

A entrada para o evento custa R$ 20, com direito a antepasto. Os interessados devem se inscrever pelo telefone (21) 3235-6315 ou pelo e-mail secretaria@iets.org.br.


Serviço

Osterio:
Abrir alas para o futuro do carnaval: patrocínios e uma festa em busca de novo enredo
Com Flávia Oliveira, Felipe Ferreira, Rita Fernandes e Anabela Paiva (mediadora)
8 de julho de 2015 (quarta-feira), às 20h
Restaurante Osteria Dell’Angolo – Rua Paul Redfern – 40 – Ipanema
Inscrições pelo telefone (21) 3235-6315 ou pelo e-mail secretaria@iets.org.br
Valor: R$ 20 com direito a um antepasto, sem bebida.

  • Compartilhe:

Mais OsteRio

"Precisamos mudar o CEP do emprego"

Como diminuir as desigualdades gritantes na Região Metropolitana do Rio? No OsteRio desta terça-feira (29/3), um caminho ficou claro: mais centros e oportunidades, menos distâncias e deslocamentos

OsteRio discute as fronteiras da desigualdade no Rio metropolitano

No evento, serão apresentadas as atualizações do Mapa da Desigualdade, produzido pela Casa Fluminense, que mostra as disparidades da região a partir de 21 indicadores sobre 7 temas-chave

Eduardo Paes faz balanço de seus oito anos como prefeito

Prefeito responde a perguntas da plateia sobre sua gestão, em encontro promovido pelo Vozerio em parceria com Iets

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre cultura

Visitante acusa namorado de funcionária de discriminação durante ida ao local na última sexta (30)

Biblioteca Parque amanhece fechada no Centro

De acordo com Governo do Estado, fechamento é excepcional e prefeitura deve manter espaço aberto em 2017

’Sem cultura é barbárie’

Artistas e gestores pedem que o Governo do Estado não acabe com a Secretaria Estadual de Cultura, e de quebra criticam o município por falta de transparência em Fomento às Artes

Novo endereço para criar e empreender

Espaço de ’coworking’ Gomeia surge como centro de articulação entre grupos atuantes em cultura na Baixada Fluminense

Mais sobre carnaval

Curta sobre a imposição de padrões de beleza no carnaval estréia nesta sexta-feira, 4/11

O Filósofo do Samba

Nascido há 100 anos, sambista Silas de Oliveira é autor de uma obra atemporal, que vem sendo resgatada por uma nova geração de músicos

Cinco visões sobre o futuro do Rio

No aniversário do Rio de Janeiro, Vozerio conversou com especialistas para ouvir suas expectativas em relação ao futuro da cidade.

Peixes mortos nas lagoas de Maricá preocupam população

Episódio começou na manhã desta quarta-feira; comerciantes se preocupam com os negócios durante o carnaval
Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino