Debates

  • Compartilhe:
OsteRio 18 / 09 / 2015|

OsteRio debate o novo capítulo do mercado editorial na próxima terça-feira

Editores da Record e da Editora Darkside discutem papel do editor, estratégias para engajar o público a partir de redes sociais e a crise econômica

As transformações no mercado editorial e a relação entre autores, editoras e o público leitor são o assunto do OsteRio, na terça-feira, 22 de setembro. Carlos Andreazza, editor executivo da Record, o maior grupo do setor, e Christiano Menezes, sócio da Editora Darkside, especializada em livros de fantasia e terror, são os convidados da noite, que terá ainda a participação do jornalista Mauricio Meireles, especializado em literatura e mercado editorial, do Globo.

À frente de empresas muito diferentes, Andreazza e Christiano tem em comum o estilo pouco convencional. Andreazza, carioca de 35 anos, é jornalista formado pela PUC-Rio e atuou nas editoras Contracapa e Capivara, além da francesa La Table Ronde. Responsável pelos lançamentos de literatura brasileira e de não-ficção, ele utiliza intensamente as redes sociais para apresentar suas apostas literárias ou expressar opiniões polêmicas, com críticas à Festa Literária de Parati (Flip) e ao extinto suplemento literário Prosa, do Globo.

Mais discreto, Christiano Menezes defende que o editor contemporâneo precisa ter uma formação muito diferente daqueles que ocupavam o papel no passado. “Ser conectado com as tendências é pouco hoje em dia. É preciso um diálogo entre a literatura e a estética”, diz o também carioca de 37 anos, que é ilustrador, designer e sócio do premiado estúdio Retina 78. Conhecido pelo codinome Chucky, Christiano também aposta no audiovisual em seu trabalho como colaborador do diretor da Globo Luiz Fernando Carvalho.

Para os dois convidados, o sucesso da última Bienal do Livro Rio, que reuniu cerca de 600 mil visitantes, um número recorde, não indica que o setor está imune à crise que deprime a economia brasileira. “É um momento delicado. O mercado é mais influenciado por fenômenos e as editoras se tornam mais dependentes das aquisições do governo”, observa Andreazza.

Ele aposta que um caminho para o sucesso é trabalhar para atender a nichos do mercado. Mesmo numa editora que tem um catálogo de 9 mil títulos. “Fomos muito bem-sucedidos ao editar autores conservadores e liberais. Percebi que nenhuma outra editora fazia isso e passamos a fazer um investimento consistente”, diz Andreazza.

A aposta em nichos de leitores também é a base da Darkside, editora que convida o leitor a “apostar no escuro” ao investir em livros de terror, crime e fantasia. Ao longo de três anos e 37 livros, a empresa vem construindo um público cativo – são quase 500 mil fãs da página no Facebook – que envia fotos, grava vídeos e comemora cada novo lançamento.

"Christiano Menezes e Carlos Andreazza lideram, cada um a seu modo, dois cases do mercado editorial carioca que merecem ser observados", comenta Mauricio Meireles. "Christiano, com uma editora de nicho, voltada para uma certa cultura nerd, que cresce fora do circuito tradicional do mercado. O Andreazza com o filão dos autores conservadores, um fenômeno de venda que diz muito sobre o momento atual do Brasil."

Conheça mais as estratégias de Christiano e Andreazza nos Facebooks da Darkside Books e da Record.

  • Compartilhe:

Mais OsteRio

"Precisamos mudar o CEP do emprego"

Como diminuir as desigualdades gritantes na Região Metropolitana do Rio? No OsteRio desta terça-feira (29/3), um caminho ficou claro: mais centros e oportunidades, menos distâncias e deslocamentos

OsteRio discute as fronteiras da desigualdade no Rio metropolitano

No evento, serão apresentadas as atualizações do Mapa da Desigualdade, produzido pela Casa Fluminense, que mostra as disparidades da região a partir de 21 indicadores sobre 7 temas-chave

Eduardo Paes faz balanço de seus oito anos como prefeito

Prefeito responde a perguntas da plateia sobre sua gestão, em encontro promovido pelo Vozerio em parceria com Iets

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre crise

Testemunhas contam o que viram de um dos anos mais agitados dos últimos tempos

Biblioteca Parque amanhece fechada no Centro

De acordo com Governo do Estado, fechamento é excepcional e prefeitura deve manter espaço aberto em 2017

Sem salário, professora aposentada vende empada

Após 30 anos de trabalho na rede estadual, aposta nos salgados para comprar comida e pagar dívidas que ultrapassam R$ 600

"Não somos black blocs"

Policiais e outros servidores enfrentam bombas de gás e spray de pimenta em protesto contra pacote de medidas de austeridade enviado à Alerj

Mais sobre cultura

Visitante acusa namorado de funcionária de discriminação durante ida ao local na última sexta (30)

’Sem cultura é barbárie’

Artistas e gestores pedem que o Governo do Estado não acabe com a Secretaria Estadual de Cultura, e de quebra criticam o município por falta de transparência em Fomento às Artes

Novo endereço para criar e empreender

Espaço de ’coworking’ Gomeia surge como centro de articulação entre grupos atuantes em cultura na Baixada Fluminense

Cidade de Deus vira capital da literatura

Até domingo (13), Festa Literária das Periferias (Flupp) agita favela da zona oeste carioca

Mais sobre literatura

Esquecida pela história e pelas editoras, a escritora carioca Albertina Bertha (1880-1953) começa a ter sua obra redescoberta — 100 anos depois da publicação de seu primeiro livro, "Exaltação"

Editora aposta em vaquinha para lançar livros de nicho

Editora usa o crowdfunding para financiar projetos literários — uma alternativa para livros ignorados pelo mercado

A saga de quem faz cultura nas ruas do Rio

Organizadores do Sarau do Escritório mostram como vencer o vilão da burocracia em 11 fases

Bibliotecas municipais sofrem com falta de funcionários e problemas estruturais

Enquanto a Prefeitura acena com ajuda mensal de R$ 1,5 milhão para as bibliotecas-parque do governo estadual, estabelecimentos municipais sobrevivem sem computadores, ar condicionados e pessoal
Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino