Reportagens

  • Compartilhe:
Servidores sem salário 17 / 11 / 2016| Bibiana Maia

Sem salário, professora aposentada vende empada

A família da professora de 65 anos é formada por servidores do estado: a filha é policial militar, o filho é bombeiro e a irmã é pensionista. Com os pagamentos atrasados, ela resolveu vender empadas. Estado alega que 77% dos servidores receberam esta semana a primeira parcela dos salários, de R$ 850.

“Foram 30 anos em sala de aula. É muita falta de respeito”, conta a professora aposentada Nadia Cassiano de Oliveira Cabral da Silva, de 65 anos. As palavras foram ditas com uma mistura de orgulho e pesar, enquanto descansava nas escadarias da Alerj, depois de carregar por quatro horas uma bolsa-térmica. Na quarta-feira, 16, ela saiu de Comendador Soares, bairro de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, para ir ao protesto organizado por servidores do estado. Os manifestantes tentavam impedir a votação do pacote de austeridade enviado pelo governador Luiz Fernando Pezão.

Com o salário atrasado, Nadia viu na manifestação a possibilidade de juntar o protesto por direitos com o ganho de algum dinheiro extra. Só no cartão de crédito, ela tem dívida de R$ 600. Ela não consegue contabilizar o cheque-especial. Diante de uma situação financeira caótica, a professora aposentada de história e geografia passou a vender empadinhas para a vizinhança em setembro. Foi ao Centro do Rio com a esperança de um bom faturamento. “São duas por R$ 5. Perto de casa vendo cerca de 20 ao dia. Se não conseguir acabar com o estoque, volto vendendo no trem”, contou.

O governo informou, na última sexta-feira, que depositou os salários dos ativos da educação e de ativos e inativos da segurança. O restante, como Nadia, passaria a receber a partir desta quarta-feira (16), em parcelas progressivas: “Fui no banco antes de chegar aqui e não tinha nada. Como a gente vai viver assim? Não tenho dinheiro nem para a ração do cachorro.”

JPEG - 363.1 kb

Toda a família de Nadia convive atualmente com a incerteza da crise no estado. A professora aposentada não tem como pedir ajuda à irmã, que é pensionista. Por isso, conta com o apoio da filha, policial militar, e do filho, que é bombeiro. Ambos, por hora, estão com os pagamentos em dia. Ela não sabe como será a ceia de Natal com os filhos e os dois netos este ano. “É muito triste chegar a uma situação assim nesta idade. Se não for firme, a gente entra em depressão”, disse com a voz embargada.

Na manifestação, Nadia não conseguiu atrair interessados nos salgados. Desistiu das vendas e voltou com a bolsa repleta de empadinhas para casa.

A Secretaria de Planejamento e Gestão informou que o “Governo do Estado quitou, ontem (16), 77% do total da folha de R$ 2,1 bilhões do funcionalismo, ao depositar R$ 198,5 milhões nas contas de servidores ativos, inativos e pensionistas”. A quantia depositada foi de R$ 850 por funcionário. Até o próximo dia 5 de dezembro, o Estado fará outros seis depósitos. Ainda segundo a secretaria, o calendário só será cumprido se não houver novos bloqueios das contas do Estado.

  • Compartilhe:

Ouça as vozes do Rio

Preencha o formulário abaixo para assinar o boletim do VozeRio

Mais sobre economia

Levantamento aponta que 22 empreendimentos somaram débitos que ultrapassam R$ 9 bilhões. PSOL quer que MP investigue o governo por crime de improbidade administrativa

Cinco desafios para o próximo prefeito do Rio

Especialistas em saúde, educação, mobilidade, segurança e economia apontam os principais problemas que o novo gestor da cidade vai precisar resolver

Investidores já podem comprar ações do futuro

Títulos de impacto social oferecem mecanismos de financiamento para projetos de saúde, redução do desemprego e reincidência de presos

Artista plástico cria moeda solidária carioca que vale cerca de uma hora

No projeto "Banco dos Irreais", o mexicano José Miguel Casanova quer estimular a troca direta de tempo, serviços e experiências entre as pessoas sem a intermediação de dinheiro

Mais sobre crise

Testemunhas contam o que viram de um dos anos mais agitados dos últimos tempos

Biblioteca Parque amanhece fechada no Centro

De acordo com Governo do Estado, fechamento é excepcional e prefeitura deve manter espaço aberto em 2017

"Não somos black blocs"

Policiais e outros servidores enfrentam bombas de gás e spray de pimenta em protesto contra pacote de medidas de austeridade enviado à Alerj

Crise no Rio de Janeiro: o vilão é mesmo o servidor público?

Para o presidente do Instituto de Estudos sobre o Rio de Janeiro (Ierj), não há excesso de servidores na maioria das áreas do governo estadual — mas, sim, falta

Mais sobre Manifestação

Pesquisador do CESeC relata a indignação de moradores da Cidade de Deus se reuniram em um protesto na quinta-feira (24/11) contra o uso de mandado de busca coletivo nas ações policiais

’Sem cultura é barbárie’

Artistas e gestores pedem que o Governo do Estado não acabe com a Secretaria Estadual de Cultura, e de quebra criticam o município por falta de transparência em Fomento às Artes

Onde está junho? Manifestantes de 2013 olham para as ruas hoje

Da atuação da polícia à desesperança: como a geração de 2013 enxerga as mobilizações de 2016

Vozes da rua

Nestes tempos de descrença com a política, Vozerio conversou com quem estava na manifestação contra o impeachment na Praça XV

Mais sobre Protestos

Segurança de jornalistas que cobrem protestos e acompanharão Rio 2016 preocupa Repórteres Sem Fronteiras

Mototáxis transportam passageiros em engarrafamentos causados por protesto de taxistas contra Uber

Em meio às retenções no trânsito causadas pelas manifestações de taxistas contra o Uber no Rio, mototáxis levam passageiros para o aeroporto do Galeão

Fora das salas, aula prática de política

As 24 horas iniciais do primeiro colégio ocupado por estudantes no Rio, na Ilha do Governador

Pão e água: agricultores protestam contra barragem

Plantadores de milho e aipim de Cachoeiras de Macacu querem evitar alagamento de suas terras por reservatório que abasteceria de água São Gonçalo e Niterói

Mais sobre Alerj

Propostas como o aumento do ICMS enfrentam rejeição tanto de líderes da situação quanto de membros da oposição

Alerj reluta em decidir sobre integração metropolitana

Após discussão, deputados não chegam a conclusão em relação à proposta do Governo do Estado; críticas vão da perda de autonomia das prefeituras à falta de participação da sociedade civil

Mais sobre servidores

Medida faz parte do pacote proposto pelo Governo do Estado, que entra em fase final de votação

Mais sobre governo

Mais sobre crise econômica

Realização:
Iets
Patrocínio:
Universeg
Apoio:
Biblioteca Parque Estadual Biblioteca Parque Estadual
 
Licença Creative Commons
Desenvolvido em SPIP pela Calepino